A poupança ainda vale a pena?

Se você tem seguido nossas dicas e juntou uma reserva para investir ou consegue poupar uma quantia mensal para realizar planos, já deve ter se perguntado se a poupança ainda é o melhor lugar para isso.

O primeiro passo para essa resposta, é acompanhar o rendimento da poupança e comparar com outros ativos. Em 2020, por exemplo, a poupança rendeu 2,11% ao longo do ano (uma taxa mais baixa que a prévia da inflação).

Uma outra questão é se atentar às datas de retirada (conhecidas como aniversário do investimento) para que o rendimento durante o mês não seja perdido.

Como calcular?

O rendimento da poupança é igual a 70% da Taxa Selic mais a Taxa Referencial (TR). Como a TR está quase zerada, é comum simplificar e dizer que a poupança rende 70% da Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira.

Mas atenção: mesmo com uma possível alta na Selic, os rendimentos podem continuar muito baixos, por isso, é sempre importante fazer as contas e analisar suas opções.

Abaixo, vamos falar de algumas delas:

Títulos Públicos

Uma boa opção para quem está começando a investir e ainda não se sente seguro para escolher o investimento sozinho. A dica é optar por uma opção de médio/longo prazo, desde que o dinheiro não se trate de uma reserva de emergência.

ETFs de renda fixa

Replicam o desempenho de índices que acompanham títulos públicos e privados prefixados ou atrelados à inflação. É uma forma acessível de investir e a aliquota do IR sobre rendimento é sempre de 15% (independente do prazo). Neste caso, o ideal é escolher investimentos mais curtos.

Debêntures

Em capital privado, debêntures com retorno atrelado ao IPCA também são interessantes para compor o portfólio e proteger o capital do aumento da inflação. Neste caso, nossa indicação é para perfis moderados, pois não há proteção do FGC (Fundo Garantidor de Créditos).

Fundos imobiliários

Fundo acessível com aplicações mínimas abaixo de R$ 100, que se benefíciam da alta do IGP-M mas, por serem de renda variável, estão sujeitos a oscilações bruscas. Para investir, nossa recomendação são perfis moderados.

Existem ainda algumas outras opções. O mais importante é aprender a diversificar. Assim, você aproveita as melhores ofertas e faz o seu dinheiro render cada vez mais.

Fonte: Infomoney e Financeone