Empreendedorismo feminino e seu empoderamento

Sexo frágil? A TÁ.

Cada vez mais, as mulheres têm se destacado como empreendedoras e potencializando diversos setores econômicos. Mas além do lucro, o empreendedorismo feminino significa muito mais. Ele representa empoderamento, visibilidade, reconhecimento, acolhimento, valorização e autoconfiança para mulheres que, historicamente, têm enfrentado diversas discriminações de gênero e cor e maternidade existentes no mercado de trabalho.

Em 2016, mais da metade de novos negócios foram abertos por mulheres, principalmente no setor de serviços e com níveis mais altos de escolarização do que os homens.

Uma mulher empreendedora não contribui somente com o desenvolvimento econômico, mas também com o sociocultural por potencializar suas famílias, investir em cultura e educação e provocando uma verdadeira transformação social.

Quais os principais diferenciais do empreendedorismo feminino?

Atenção aos detalhes e multifoco

Por desde sempre terem a autogestão e gestão da casa impostos pela sociedade (em sua maioria), é comum que as mulheres sejam mais atenciosas, empáticas e boas líderes.

Uma pesquisa do Peterson Institute, especializado em estudos da economia e das relações internacionais, associou o aumento dos papéis de liderança feminina aos crescimentos de rentabilidade.

Mais preparo

No Brasil, o índice de escolaridade feminino é maior que o masculino. As mulheres investem mais tempo em aprimoramento técnico, estudam o mercado e planejam melhor suas ações.

Inteligência emocional

Uma pesquisa feita pela Korn Ferry Hay Group, uma consultoria global de gestão de negócios, usou dados de mais de 55.000 profissionais espalhados por cerca de 90 diferentes países. A conclusão foi que em 11 das 12 competências de inteligência emocional, as mulheres superaram os homens. A única competência em que o sexo feminino não obteve as melhores pontuações foi em “autocontrole emocional”, onde, na verdade, não houve diferença entre os sexos.

Fonte: Sebrae e Forbes