Comprar um carro – ou trocar o atual por um melhor – é o sonho de muita gente. Mas realizar esse sonho exige, antes de tudo, planejamento.

Quer dizer, é preciso ter consciência de todos os gastos gerados pelo carro. Afinal, não se pode pensar só no valor da compra ou da prestação. Pois você gastará também com combustível, IPVA, seguro, consertos e outros. E ninguém compra um carro para deixar na garagem, não é?

Se você já colocou tudo na balança e decidiu comprar, vamos avançar nessa conversa.

Novo ou usado?
Um carro zero, com cheirinho de novo, é o sonho dos sonhos. Sem contar a garantia de um ano, no mínimo, que dá tranquilidade em relação à manutenção do veículo. Mas, claro, essa é a opção mais cara.

O carro usado também tem vantagens. Por exemplo, um carro zero simples pode custar o mesmo que um usado bem mais equipado e confortável.

Além disso, a desvalorização do novo é muito maior. Se você compra um zero, roda com ele uma semana e tenta vendê-lo novamente, o valor que consegue é bem menor do que pagou, só porque não é mais “zero”. Com o usado é diferente: o preço cai mais devagar.

Escolha seu carro
Existem vários sites legais para você comprar, vender e pesquisar preços, como o ZAP (http://www.zap.com.br/carros-e-motos) e o Carsale (http://carsale.uol.com.br/).

Testando o carro usado
Se você quer um usado, alguns cuidados devem ser tomados (fontes: site Webmotors e blog Notícias Automotivas):

– Documentação – No certificado de propriedade do veículo, pegue o código Renavan e o número de segurança. Com eles, você pesquisa o nome do dono, se o carro tem multas, se não é roubado, se os impostos estão em dia entre outras coisas. Para pesquisar, acesse o site http://www.denatran.gov.br/links.htm e escolha o Detran de seu Estado.

– Conhecendo o carro – Prefira ver o carro durante o dia e em local público. Assim, há mais luz para perceber problemas e é mais seguro.

– Número do chassi – O número do chassi do carro é único e fica gravado no motor, nos vidros e em outras peças. Confira se esse número é o mesmo que está no documento. Se não for, não compre, pois isso é irregular. Se o número gravado no motor estiver raspado ou difícil de ler, a mesma coisa, não compre, é problema.

– Test drive – Dê uma volta com o carro e, se possível, peça a opinião de um mecânico sobre a qualidade do carro. E ainda confira pneus, freios, funções do painel, espelhos retrovisores, forro, estofamento e mecanismos dos bancos, travas das portas e vidros. O carro precisa ter também extintor de incêndio na validade, macaco funcionando, triângulo de sinalização, chave de roda e estepe.

Clique em http://www.carrosnaweb.com.br/dicascompravenda.asp para ver um passo a passo ainda mais detalhado da compra de carro usado.

E você? Já comprou um carro? Conte pra gente como foi essa experiência!